FECHAR X
Digite aqui a sua busca
s
FECHAR X
(31)99984-8756
(31)2510-6936
regina@reginaribeiroadvogados.com.br
Rua Santo Antônio do Monte, 225
Santo Antônio | CEP 30330-220
Belo Horizonte | MG
(31)99984-8756 | (31)2510-6936 | regina@reginaribeiroadvogados.com.br
Rua Santo Antônio do Monte, 225 - Santo Antônio | CEP 30330-220 | Belo Horizonte | MG

HISTÓRIA

Para que vim nesta área da advocacia.

Cursei faculdade de Direito em Belo Horizonte, entre 1997 e 2002. Nesta época, meu pai era portador de Doença de Parkinson e piorava a cada dia.

Com o tempo, passou a falar com dificuldades, engasgar com qualquer alimento, cair da própria altura, sofrer fraturas (fêmur, vértebras, costelas), virou cadeirante … e, por fim, foi perdendo sua capacidade de raciocínio. Ele era uma pessoa muito dócil e querida por todos, por quem eu sentia profunda afeição e de quem eu cuidava pessoalmente, junto com minha mãe. Com esta triste, porém rica experiência, passei a perceber quais eram os problemas enfrentados pelos deficientes físicos e mentais, bem como pelos portadores de doenças crônicas incuráveis: os planos de saúde não querem saber dos clientes idosos e doentes, pois lhes custam caro; passam a negar cirurgias, próteses, exames, e internações; o home care é sempre fornecido aquém do necessário, com serviços precários e em periodicidade insuficiente; sobem os preços das mensalidades aleatoriamente e desrespeitam a legislação no momento mais difícil da vida. A legislação nacional sobre saúde é extensa, complexa, muda com enorme frequência e deixa brechas para várias interpretações, tanto para os planos coletivos como para os individuais. O SUS não fornece todos os medicamentos de uso contínuo, sem os quais, muitas vezes, a vida do paciente torna-se inviável.

Em 2005, para ajudar meu pai, precisei ajuizar minha primeira ação na área de saúde. Como eu era muito inexperiente, cometi todos os erros que os principiantes e generalistas do direito cometem nos processos da área de saúde.  Na época, contei com a ajuda de professores e colegas, os quais também não tinham experiência no assunto. Naquele tempo, ainda não havia essa enxurrada de ações na área de saúde como tem acontecido nos últimos anos. Talvez tenha sido esta a minha sorte: os embates judiciais eram mais brandos. Como meu pai passou a receber do SUS os remédios que demandei em juízo, a notícia se espalhou e os médicos e associações de que eu participava começaram a me indicar novos clientes. Comecei, então, a advogar para os pacientes em processos iguais ou parecidos, sempre voltados para a saúde. 

Fui advogada autônoma na área de saúde de 2005 a 2011. Adquiri experiência, passei a conhecer pessoalmente os juízes e funcionários de cada Vara, saber como cada um trabalha, até que decidi deixar de ser autônoma e abri um escritório especializado juntamente com uma colega. Assim nasceu o “Ribeiro e Freire – Advocacia Especializada na Saúde”. Era o primeiro escritório de advocacia especializado em saúde de Minas Gerais, e ainda não tenho conhecimento de outro que atue com exclusividade na área. Há profissionais que atuam neste ramo do direito, mas não com exclusividade.

Nesse meio tempo, pelo meu convívio com diversos profissionais de saúde, percebi que os próprios médicos e dentistas passaram a me consultar sobre os processos que sofriam, seus problemas no CRM, CRO, etc. Eu precisava entender de Direito Médico! Já havia cursado pós-graduação em Direito Civil na PUC Minas e decidi fazer uma especialização em Direito Médico e Hospitalar em São Paulo, sob a coordenação do professor Marcos Coltri, referência nacional em Direito Médico. Foi uma época em que fiquei sobrecarregada, em que precisei deslocar-me a São Paulo a cada 15 dias, durante 2 anos, pois o curso foi inteiro presencial.

Valeu a pena, pois vivi o assunto em absoluta imersão, tanto no escritório, quanto durante as aulas, as horas de estudo e de redação da minha monografia. Passei a advogar, então, não só para os pacientes, mas também para os profissionais de saúde.

No final de 2015, eu e minha sócia decidimos de comum acordo por desfazer a sociedade. Fundei, então, desta vez sem nenhuma vinculação societária, o “Regina Ribeiro – Direito Médico e à Saúde”, como nova empreitada, para continuar atuando com exclusividade naquilo que faço há quase 15 anos.

Terminada a especialização em Direito Médico, decidi cursar mestrado em Direito Privado na PUC – Minas, onde cheguei a dar aulas de Hermenêutica Jurídica, a convite do então coordenador do curso de Direito. Defendi minha dissertação em 2018, voltada para a defesa dos cirurgiões plásticos em processos indenizatórios por erros profissionais. Em breve, esta dissertação será publicada no formato de um livro. 

NO DIREITO MÉDICO, optei por advogar exclusivamente na DEFESA dos profissionais de saúde, ou seja, NÃO advogo contra médicos, dentistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, nutricionistas e enfermeiros. 

NO DIREITO À SAÚDE advogo em favor dos pacientes, mas APENAS quando a demanda versar sobre abusos dos planos de saúde, SUS, para obtenção de auxílios previdenciários, aposentadoria por invalidez, isenções de tributos em razão de doença ou deficiência e interdições.

O escritório é pequeno e assim permanecerá, pois NÃO SOU EMPRESÁRIA DO DIREITO e não pretendo ser. Por isso, por não ter temperamento para delegar meus processos a ajudantes, faço pessoalmente todo o serviço de advocacia do meu escritório, desde o atendimento inicial dos clientes, todas as petições e audiências. E é assim que permanecerei trabalhando. 

Dito isso, coloco-me à disposição e de coração aberto para atender os pacientes e profissionais de saúde, no mesmo endereço onde sempre trabalhei desde o ano de 2005, quando era autônoma. Espero poder fazer da minha trajetória de vida, um apoio àqueles que passam pelas mesmas angústias pelas quais passei. O caminho foi árido, porém intenso e cheio de alegrias, pois ajudar é a minha principal meta de trabalho. É assim que me realizo.

Apresento-lhes, aqui, o novo site do escritório, no ar a partir desde mês. Sejam bem-vindos.

 Belo Horizonte, 07 de agosto de 2019.

Regina Ribeiro.